Pular para o conteúdo

As vezes nos deparamos com Leis que podem parecer ridículas em uma primeira análise. Mas, pode ter certeza, se existe uma lei proibindo um ato ridículo, é porquê as pessoas realmente praticavam aquele ato ridículo. Por exemplo, existem placas em todas as linhas férreas aqui na cidade dizendo expressamente que é proibido andar sobre os trilhos do trem. Você pensa que isso é obvio e que ninguém vai andar sobre os trilhos do trem. Mas, isso acontece todo dia e existem várias estatísticas no mundo de pessoas que são atropeladas por trens. As pessoas são ridículas. Mas, agora, no Reino Unido temos uma lei contra o upskirting.

...continuar lendo "Você não pode mais fotografar por baixo de saias no Reino Unido"

5

Senta que lá vem história. Tudo estava bem nessa sexta-feira. O dia começou corrido e várias responsabilidades deveriam ser cumpridas, mas todo dia sigo um ritual muito específico quando chego ao serviço. Faço uma lista de tudo o que deve ser feito no dia, pego uma caneca de café, dou uma olhada rápida no Twitter (a melhor rede social) e começo meus afazeres. Mas, hoje algo diferente aconteceu. Me deparei com uma publicação da usuária Cynara Menezes de apoio ao ex-presidente Lula. Uma declaração sem muito embasamento na realidade de que o citado ex-presidente é um presidiário condenado por crimes de corrupção. Não tive dúvidas e compartilhei a publicação com o seguinte apontamento:

...continuar lendo "O dia em que fui acusado de ser pedófilo"

Olá pessoas, tudo bem? Aqui é Gilso Lorenti, fotógrafo e nerd. Hoje o podcast é sobre fotografia e vamos entrar no mundo encantado das festas de aniversário infantil. Hoje vamos falar do que você deve fazer e do que não fazer durante a cobertura fotográfica de uma festa infantil, e como bônus teremos também uma palhinha sobre melhores equipamentos para utilizar nesse tipo de cobertura fotográfica.

...continuar lendo "Câmera Escura #026 – Fotografia de Aniversário Infantil"

Eu vejo os jovens de hoje ficando maravilhados com algumas coisas do passado e percebo como nós não possuímos memória. Podemos ver isso diariamente nas redes sociais. Novas empresas lançando produtos que já existiam há décadas como se fossem uma grande novidade. Eu comecei na fotografia em 1995. Equipamentos digitais mais básicos já existiam, mas estavam muito longe de nossa realidade. Fotografei com muito filme 35mm, com médio formato, tanto positivo quanto negativo. Aprendi a revelar meus filmes em preto e branco e fazer as cópias em papel. Passei tardes inteiras dentro de um laboratório quente e com produtos químicos nocivos à saúde para conseguir 30 fotos bacanas. Olhando para esse passado eu posso dizer sinceramente: não tenho saudade de nada.

...continuar lendo "A lenta morte da fotografia analógica (eu sei)"