Pular para o conteúdo

Bons fotógrafos possuem muitos seguidores no Instagram?

Olha que pergunta cabeluda. O Instagram surgiu como um grande diário on-line em forma de fotografia. As pessoas fotografavam o seu dia a dia, os seus momentos, os seus instantes, e compartilhavam com seus amigos. Por um tempo foi um pequeno grupo, restrito apenas para quem utilizava o iPhone. Hoje ele é um fenômeno mundial. Qualquer pessoa tem um Instagram, e vejo que muitos fotógrafos profissionais embarcaram na plataforma como uma forma de vender o seu trabalho.

Mas, podemos utilizar a quantidade de seguidores de uma pessoa como uma métrica para a qualidade de seu trabalho? Claro que não. Existem fotógrafos fenomenais com contas no Instagram, e alguns muito famosos, que não possuem uma quantidade expressiva de seguidores e nem curtidas em abundância em suas fotos. Enquanto isso, perfis de sub-celebridades, como a Mulher Melão, por exemplo, arrecadam milhares de seguidores apenas com fotos das partes íntimas de seu corpo. E não precisa ser uma sub-celebridade de maior peso. Existem milhares de anônimos na rede com milhares de seguidores onde penas acompanhamos o seu modo de vida fútil.

Então, se podemos formar uma opinião de que a quantidade de seguidores não é padrão de avaliação para a qualidade do fotógrafo, então qual o motivo de uma marca de câmera fotográfica acreditar nisso? A história apareceu no Petapixel e mostra o drama da fotógrafa Yvette Roman. Ela tem um trabalho fantástico, como podemos ver em seu site, mas ela tem "apenas" 1600 seguidores no Instagram. Pelo o que percebi, ela utiliza a plataforma apenas para sua fotografia informal.

Recentemente, Yvette estava sendo entrevistada pela plataforma de cursos empreendedores online chamada The Futur, e em um momento do vídeo ela conta uma história triste, e ao mesmo tempo revoltante. Em suas palavras, ela diz que foi quase contratada pela Canon para executar uma peça publicitária para a empresa. Segundo ela, seria o trabalho dos sonhos de qualquer fotógrafo. Tudo foi acertado e confirmado, mas o contrato foi cancelado 20 minutos depois. A empresa entrou em contato e afirmou que não poderiam contratá-la por ela não ter mais de 50 mil seguidores no Instagram. Afirmaram que não foi um problema criativo, mas o setor de RH que colocou esse limite.

O quanto frustrante pode ser para um fotógrafo ser podado por não ser uma estrela de rede social? Eu ficaria extremamente deprimido. Yvette aponta que também ficou muito desolada e que até pensou em largar a fotografia, mas decidiu fazer disso uma experiência a mais em sua carreira.

Vejam abaixo o vídeo da entrevista e a reação dos participantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.