Pular para o conteúdo

Fotografia, Direito Autoral e o Arch Enemy

Direito Autoral é uma matéria que gosto de noticiar por aqui, justamente pelo fato das pessoas não entenderem muito bem como isso funciona. É simples, tudo o que é produzido de forma intelectual (música, textos, pinturas, desenhos, fotografias) possui um autor e, por isso, são protegidos pelas leis de direitos autorais. Você não pode pegar uma obra e utilizar da maneira que você quiser sem autorização do autor da obra. Então, uma foto que você encontra no Google não é de livre uso. Ela possui um autor e, por isso, um dono. Utilizar essa imagem sem a autorização do autor é crime e você pode ser processado. Só uma pequena introdução para entrarmos no assunto principal dessa postagem.

Semana passada o fotógrafo J Salmeron, da Metal Blast, contou uma história bem interessante no seu Instagram. Depois de fotografar uma apresentação da banda Arch Enemy, o fotógrafo compartilhou a imagem em suas redes sociais. Como acontece nesse meio, a banda também compartilhou essa imagem no Instagram oficial. Salmeron destaca que nunca viu problema em bandas publicarem suas fotos sem pedir autorização. Afinal de contas é uma indústria que se alimenta. Ele precisa de autorização para fotografar as bandas de um local privilegiado e em contrapartida elas podem utilizar as imagens.

Porém, dessa vez, a loja de roupas Thunderball Clothing utilizou essa mesma imagem para divulgar sua linha de roupas voltada para os fãs do Metal. O fotógrafo não achou isso justo, afinal de contas era um uso comercial de suas imagens e nenhuma autorização foi solicitada. Ele entrou em contato com a marca de roupas explicando a situação e, como uma forma alternativa de licenciamento da imagem, pediu que a empresa fizesse uma doação de € 100 para a Fundação do Câncer da Holanda. A gerente da  Thunderball Clothing, Marta Gabriel, encarou o contato do fotógrafo como uma ameaça e entrou em contato com a banda sobre o ocorrido, em vez de falar com o próprio fotógrafo. É aquela noção de que o importante é quem aparece na foto e não o autor da foto.

A banda entrou na conversa e tudo degringolou. O resultado é que a banda colocou o fotógrafo na lista negra e o baniu de todas as apresentações do Arch Enemy. Salmeron ficou indignado com a situação, pois em sua concepção o seu pedido foi justo, e publicou o relato de toda a situação em seu Instagram. O fim dessa treta foi uma enxurrada de comentários negativos nas contas da loja de roupas e da banda. De modo geral, todo mundo que trabalha com a produção de conteúdo apoiou o desabafo de Salmeron e os fãs da banda apoiaram a atitude do Arch Enemy.

Como consequência, depois de várias declarações de todas as partes, Marta Gabriel, da Thunderball Clothing, reviu sua posição e pediu desculpas ao fotógrafo.

"Eu gostaria de pedir publicamente desculpas ao Sr. J. Salmeron por repostar uma das fotos que ele tirou, na minha página do Instagram, sem a permissão dele. Como fiz o repost com um aplicativo que incluía todos os créditos e marcas d'água originais, achei que estava tudo bem. Eu não quis fazer mal, e não era minha intenção promover qualquer produto, no entanto, eu concordo que poderia parecer assim, e eu entendo que o autor da fotografia pode se sentir chateado com isso. E sinto muito por isso."

Mesmo com o pedido de desculpas, as ofensas on-line não cessaram e a estilista não aguentou a pressão. O último capítulo dessa história mostra que a marca de roupas decidiu sair do mercado, fechando a empresa. A carga de publicidade negativa foi muito grande para eles aguentarem. Ao finalizar a empresa, Marta Gabriel escreveu:

“Nos últimos dois dias recebi literalmente centenas de comentários e mensagens de que sou uma prostituta, uma nazista, uma comunista, uma vagabunda sem valor e que eu deveria morrer rapidamente ou que deveria me matar. Não há raiva em mim e peço desculpas a todos que se sentiram magoados ou chateados com esta situação. De qualquer forma, não há mais roupas Thunderball. Vocês ganharam."

A situação começou toda errada quando as partes não conseguiram se entender. Tudo poderia ter sido resolvido de maneira amigável e fácil, mas quando a turba enfurecida das redes sociais entrou na história nada mais teve controle. Não adianta os envolvidos reverem suas posturas e pedirem desculpas, pois a manada maluca das redes não perdoa e nem vai deixar de atacar.

Do outro lado da história, o Arch Enemy ainda continua defendendo sua postura e não voltou atrás no banimento do fotógrafo. A gerente da banda, Angela Gossow, não pediu desculpas por nada e afirma que nenhum direito autoral foi infringido pela banda. Ela diz que a banda é uma vítima e o fotógrafo teve o apoio das redes sociais por ser o primeiro a publicar sua narrativa e que as coisas ficaram tão enroladas que ninguém prestou atenção na história deles.

Eu acho  que a banda deveria descer um pouco do pedestal e olhar direito o caso de uma maneira ampla. A Lei de Direito Autoral protege todo mundo, inclusive a banda. Infelizmente gostamos de ver apenas o nosso lado.

Fonte: Petapixel

1 comentário em “Fotografia, Direito Autoral e o Arch Enemy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.