Pular para o conteúdo

O dia em que fui acusado de ser pedófilo

Senta que lá vem história. Tudo estava bem nessa sexta-feira. O dia começou corrido e várias responsabilidades deveriam ser cumpridas, mas todo dia sigo um ritual muito específico quando chego ao serviço. Faço uma lista de tudo o que deve ser feito no dia, pego uma caneca de café, dou uma olhada rápida no Twitter (a melhor rede social) e começo meus afazeres. Mas, hoje algo diferente aconteceu. Me deparei com uma publicação da usuária Cynara Menezes de apoio ao ex-presidente Lula. Uma declaração sem muito embasamento na realidade de que o citado ex-presidente é um presidiário condenado por crimes de corrupção. Não tive dúvidas e compartilhei a publicação com o seguinte apontamento:

Um comentário simples, pois essa visão e perspectiva do caso nós só temos dos verdadeiros representantes da política de esquerda. Aquele olhar cheio de ideologia e desprovido de apego à realidade. Fui representante estudantil quando estava na faculdade. Presidente de Centro Acadêmico, Vice-Presidente de Diretório Acadêmico, e participei de muitas reuniões do DCE da Unesp. Para quem não sabe, o movimento estudantil dentro de São Paulo é dominado por partidos de esquerda que se digladiam pelas migalhas e possibilidades de um dia serem políticos influentes. Então, típica colocação que encontraria em alguma reunião cabeça dos membros do partido no DCE. Fiz o comentário e continuei minha vida. Mas, o dia estava apenas começando a ficar animado.

Na próxima olhada que dei no twitter vi várias notificações de interações. Fui dar uma olhada no que estava acontecendo e a Cynara havia respondido ao meu argumento da seguinte maneira:

Em vez de fazer um comentário sobre minha afirmação, a Cynara achou por bem questionar o que estava escrito em minha bios do Twitter, que reproduzo abaixo.

"Redator do site @meiobit, fotógrafo de meninas sem roupa, professor frustrado de fotografia e candidato a podcaster"

Nada absurdo. Digo que escrevia no Meiobit, o maior blog de tecnologia do Brasil, onde fiquei por 10 anos. Falo da fotografia sensual e nu artístico, que pratico há 20 anos. Além do ofício de professor (que nem sempre é valorizado) e da minha paixão pelo podcast. Mas, a criatura encanou com a palavra meninas, dando a entender que o termo se referia a pessoas do sexo feminino e menores de 18 anos, ou seja, uma perversão. Não me dei por vencido e tentei sair dessa com bom humor.

O que era apenas uma suposição de acusação, agora ficou bem claro. A criatura, agindo de má fé, me acusa de estar fazendo algo que mereça a investigação da polícia federal, que aliás todo esquerdista não gosta, pois foram os agentes que levaram todos seus heróis para a cadeia.

Mas, eu entendo. Convivi com pessoas da esquerda por quase toda minha vida. Muitos deles são extremamente críticos e é possível ter uma conversa civilizada. Mas, os atuais socialistas de iPhone (e a galera da extrema direita também) não consegue levantar argumentos e partem logo para a ignorância. Me lembra o caso do senhor idoso e Youtuber que foi caluniado como pedófilo por um membro da esquerda por ter cometido o crime hediondo de ter votado no Bolsonaro.

As eleições acabaram, mas os representantes da polarização doente ainda estão por ai, espalhados nas redes sociais, e com milhares de seguidores. Muita gente me defendeu no twitter. Pessoas que, podem não me conhecer pessoalmente, mas que me seguem desde 2009 na rede social. Gosto de brincar, fazer piada, falar sobre fotografia e divulgar meu trabalho. Mas, nunca em 22 anos de profissão sofri uma acusação tão maléfica. Eu geralmente levo essas coisas na brincadeira, pois sei das limitações sociais dessa galera. Mas, o problema é ter que aguentar os seguidores da criatura postando coisas como essa:

 

5 comentários em “O dia em que fui acusado de ser pedófilo

    1. gilsonlorenti

      esse lance de lados é bem estranho. Pessoas pensam de modo diferente, e isso é normal e saudável, mas a coisa degringolou para birrinha, igual torcidas de times de futebol. Eu tive uma educação universitária à esquerda, mas o senso crítico me leva a analisar todas as situações. Se todo mundo fizesse isso acho que as discussões seriam mais produtivas. Mas, acusar sem provas, inventar histórias, só pelo fato de a pessoa não pensar igual a você é canalhice, independente de qual lado esteja o acusador.

      Responder
  1. Homero

    Consultar o dicionário esses malucos não querem:

    MENINA
    4. maneira carinhosa e familiar de tratar um parente ou amiga, mesmo quando já adulta.
    5.
    moça que se namora; namorada, garota, pequena.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.